Posts on Aug 2017

Prova de conceito é a aposta de empresas para projetos inovadores

Metodologia amplia assertividade de novos negócios com mais rapidez e menos custos

Viabilizar a inovação no dia a dia da empresa, sem gastar muito, com agilidade e aumento das chances de sucesso. Esta é a nova estratégia que muitas empresas estão utilizando para oportunizar um novo negócio por meio do Proof of Concept Design (PoC Design). Trata-se de um laboratório experimental, com a utilização desta prova de conceito, para testar projetos e avaliar não apenas a sua viabilidade técnica, mas principalmente se os usuários desejam a solução e se estão dispostos a pagar por ela, antes de colocá-la no mercado.

A utilização do PoC Design é uma nova tendência que tem conquistado muitas empresas. Mas a metodologia não é novidade, a IBM já a utilizava na década de 80. A corporação queria uma solução para substituir as máquinas de escrever por computadores, com a ideia as pessoas falarem e o computador fazer o registro. Mas antes de desenvolver o projeto, reuniram potenciais clientes do software para simular a rotina com o novo programa. Com o feedback, a IBM entendeu que não valeria o alto investimento naquela época – ainda que a tecnologia fosse viável, aspectos comportamentais da época impediam sua adoção. Hoje, é comum a tecnologia Closed Caption nas TVs, e os Speech to Text , que converte a fala em texto, como GPS, Whatsapp, Gmail, Siri e o próprio Watson, da IBM.

Com a Apple não é diferente. Para chegar a um produto inovador como o IPhone foram realizadas muitas tentativas de produtos e serviços até chegar ao resultado final. Em 2004, a empresa chegou até a lançar um celular em parceria com a Motorola, o ROKR E1. Conhecido como o “pai do iPhone”, o modelo tinha um player com suporte às músicas do iTunes, em uma época em que ainda era comum a compra de músicas. A experiência foi um fracasso, mas a Apple adquiriu conhecimento sobre produção de celulares com a Motorola, que influenciou na criação do IPhone, lançado anos depois.

Grandes organizações têm orçamentos e equipes dedicadas à inovação, mas para a maioria das empresas a realidade é outra. Paulo Renato Oliveira, diretor criativo da Action Labs, empresa que trabalha com esta metodologia de modelar negócios, produtos e serviços inovadores, esclarece que muitas ideias acabam sendo descartadas até que se chegue a um grande produto.

“O produto ou serviço inovadores não surgem nas empresas com processos tradicionais. A inovação não é um momento de genialidade, mas um resultado de uma postura de negócios e de processos que tornam a empresa ´fértil` para inovação. É preciso criar rotinas e procedimentos que colocam a inovação no dia a dia da empresa. A experimentação, rápida e com custo relativamente baixo, pode virar uma rotina de negócios para empresas de todos os portes”, comenta.

As empresas que optam por trabalhar com PoC design estão descobrindo uma nova maneira de inovar para conquistar mais clientes e obter melhores resultados, com custo reduzido. “Com esta metodologia é possível dedicar 10% do orçamento para uma prova de conceito e, depois, ter muito mais chance de investir corretamente os outros 90%. É muito mais assertivo para se criar um novo produto ou serviço que tenha tração junto aos consumidores”, explica Paulo.

O processo de aplicação do PoC para um negócio leva, em média, entre 21 e 45 dias, dependendo da complexidade e desenvolve-se pelas etapas de imersão, ideação, priorização, prototipação e teste. O projeto Ei, Doutor! passou por este processo pela Action Labs. Paulo destaca que o desenvolvimento inicial previa uma complexa plataforma de gestão de dados, com a análise preditiva de condições de saúde dos usuários, ao custo de cerca de R$ 600 mil.

Paulo Renato Oliveira analisa que o PoC indicou que a plataforma seria “inútil” sem dados, pois as empresas e operadoras de saúde não tinham estas informações. Portanto, o projeto deveria começar falando com o usuário final, para que ele alimentasse estas informações, que seriam então compartilhadas com as operadoras de saúde.

“Antes de desenvolver a plataforma, criamos uma metodologia de captação das informações, que custou menos de 10% do valor. Isto se mostrou um produto tão essencial para o mercado que, no momento de investir na plataforma completa, nós já tínhamos receita para viabilizar o próprio desenvolvimento, com mais de 15 mil usuários na plataforma”, avalia o empresário.

Clêner Almeida, diretor executivo da Via Saúde, empresa fundadora do projeto Ei, Doutor!, explica que a plataforma foi criada com a Action Labs para tornar o negócio assertivo. “É um trabalho conjunto, finalizamos a primeira fase, mas estamos em constante atualização. Identificamos o melhor modelo, de acordo com a necessidade de absorção do mercado, e desenvolvemos a plataforma. Colocamos o projeto no ar graças a este tipo de ação. Sem isso, talvez teríamos seguido caminhos errados e mais longos”, detalha Clêner Almeida.

Sheila Rigler apresenta seu case de sucesso na Universidade Tuiuti

A empresária e coaching de relacionamentos Sheila Rigler ministrará uma palestra nesta terça-feira (8) para alunos do curso de Administração da Universidade Tuiuti do Paraná. A proprietária da agência de casamentos Par Ideal abordará o tema empreendedorismo e como mantém o sucesso de seu negócio há 22 anos.

a

Novos canais de comunicação otimizam recuperação na carteira de cobrança da Casas Bahia e Pontofrio

Utilização de SMS, mensagens de voz e WhatsApp no contato com clientes em débito trazem incremento de 30% em 10 meses

A Via Varejo, responsável pelas marcas Casas Bahia e Pontofrio, vem garantindo junto aos clientes das duas bandeiras novas interações que dão aos consumidores mais autonomia para renegociação de débitos. Por meio da utilização de novos canais de comunicação, as duas redes juntas obtiveram um incremento médio mensal de 3 p.p (total de 30%) na recuperação da carteira de cobrança.

Implementado desde o 4º trimestre de 2016, o projeto aplicado pela Via Varejo, consiste no contato com os clientes por meio de canais de comunicação como SMS, mensagens de voz e WhatsApp. Após esse contato inicial, as negociações e tratativas para resolução das pendências são realizadas em ambiente de comunicação seguro e confidencial, garantindo a proteção dos dados e agilidade nos retornos. Esta abordagem juntos aos consumidores é pioneira no varejo brasileiro.

“Com estes outros canais estamos conseguindo ter um contato assertivo com os diferentes perfis de clientes que temos, deixando-os no centro das decisões. Além de novos formatos, continuamos flexibilizando as condições de negociação e formas de pagamento”, avalia Felipe Negrão, diretor executivo de Serviços Financeiros e Relações com Investidores da Via Varejo.

Esta é a primeira etapa do projeto que ainda deve ser expandido para outras plataformas de contatos com o cliente, obedecendo a diretriz multicanal da Via Varejo e suas bandeiras. “No momento da compra o nosso consumidor já conta com as lojas físicas e online de maneira integrada, vamos levar também essa experiência multicanal para quando ele precisar pagar seus débitos”, afirma Negrão.

Carnê Casas Bahia

Para regularizar sua situação, os clientes que estiverem em débito nos pagamentos do carnê da Casas Bahia contam com propostas individualizadas para cada consumidor, com descontos sobre o valor total da dívida que poderão chegar até a 90% para aqueles que fizerem pagamento à vista. O consumidor também terá opção de parcelar sua dívida em até 15 vezes sem juros.

Cartão Pontofrio

Já o Pontofrio, em parceria com o Itaucard, também oferece condições especiais para renegociação de dívidas dos clientes que estiverem em atraso no pagamento das faturas do cartão de crédito. As propostas de renegociação oferecem taxas de juros diferenciadas e descontos especiais quando comparadas com as taxas do rotativo do cartão.

Participa da ação clientes com atraso superior a 10 dias. A renegociação é ofertada para pagamento em até 36 parcelas fixas, que poderão ser cobradas na fatura do cartão ou pagas via boleto, conforme a faixa de atraso do cliente no momento da contratação. Com a renegociação, o nome do consumidor é retirado dos órgãos de proteção ao crédito em até cinco dias úteis após a contabilização do pagamento da primeira parcela.

Ponto positivo para eles

Mulheres enxergam como qualidade pais solteiros que se preocupam com educação e cuidam dos filhos

 

Pais solteiros prestativos atraem mulheres que buscam relacionamento sério. É o que conta Sheila Rigler, proprietária da agência de casamentos Par Ideal, primeira assessoria em relações humanas e agência matrimonial de Curitiba (PR). Inaugurada em 1995, a agência que já uniu 1985 casais, auxilia pessoas que desejam conhecer alguém especial para um compromisso duradouro.

“Hoje os pais estão mais participativos e presentes na educação dos filhos. E isso é um ponto positivo para aqueles que estão buscando uma companheira. As mulheres não gostam daquele homem que coloca no questionário inicial que nunca vê os filhos, que não quer mais saber deles. Isso preocupa as mulheres. Elas questionam se tem algo de errado no homem. Então a mulher aceita e acha bacana o homem que se preocupa com os filhos. Mulheres enxergam isso como qualidade”, explica Sheila.

Ela conta que as mulheres costumam aceitar mais os homens com filhos de relacionamentos anteriores do que o contrário. “Quando um casal se separa, os pais estão fazendo mais questão da guarda compartilhada. Muitos até querem ficar com os filhos, e as mulheres não acham ruim a ideia”, complementa Sheila.

O marido da advogada Adriana Portugal, 36 anos, tem um filho de 14 anos de um relacionamento anterior. Ela conta que aceitou bem a situação, mas teve dificuldades: “Era estranho no começo, pois eu não sabia como agir. Além disso, tive que me adaptar em dividir o tempo que tinha com ele e o filho”, conta Adriana.

“Já perguntei ao meu marido se fosse o contrário, como ele agiria. Respondeu que se ele ainda não fosse pai, provavelmente teria maior dificuldade com a situação, mas hoje, como já tem um filho, aceitaria”, destaca a advogada.